quinta-feira

Sobre o dia de ontem...

Se tirarmos o facto de ontem ter tido um dia de merda cocó no trabalho (com um sobe para o escritório, desce para o armazém, desce mais um pouco para a cozinha, sobe novamente para o escritório...), ter saído às 21h (não esquecer que entrei às 9h, logo SÓ foram 12h de trabalho), e a caminho de casa... baterem-me no carro (!!!!)... o dia até correu bem...

Eu descansada na minha via, quando uma miúda entra em contra-mão num cruzamento e simplesmente não pára! Parar para quê?... 
Como se não bastasse, e para vos provar a minha sorte nesta vidaaaaaa... preenchi a merda dos papeis da participação com a bagageira aberta (logo a luz de dentro do carro ligada) e com os 4 piscas (a piscar pois 'ta claro!) e fiquei sem bateria no carro!!! Sim! E quando dou conta que não tenho bateria no carro, a miúda que me bateu (e as suas amigas!) já se tinham ido embora. Fiquei ali sozinha, com um carro que não dava sinal de vida... 


Ora então seguem-se o seguintes:

Primeiro que tudo: Ligar ao meu marido! Dizer-lhe que me bateram no carro, que não tive culpa, que estou nervosa e farta de ali estar, lamentar-me que isto só me acontece a mim e que estou sozinha e tenho frio e tenho fome e que o carro não pega! (Marido, saí de imediato do trabalho para vir ao meu encontro, óbvio)

Segundo passo: enquanto o meu marido não chega ligar ao meu Pai (que toda a vida trabalhou no ramo automóvel). Dizer-lhe os sintomas do carro para que ele por telefone me consigui-se ajudar. Claro que ele me diz para fazer várias coisas que eu nem faço ideia onde estão quando mais como se fazem. O meu marido como ainda não chegou, continuo ao telefone com o meu Pai e aproveito para lhe dizer que isto só me acontece a mim e que estou sozinha e tenho frio e tenho fome!

Terceiro passo: O meu marido chega e também não consegue meter o carro a funcionar. Chega um taxista que começa a meter conversa connosco e nos diz que pelos sintomas o carro não deve ter é bateria. 

Quarto passo: Ligo à assistência em viagem. Dizem-me que o reboque demora 40 minutos a chegar. 

Quinto passo: Esperamos... Enquanto isso eu começo a pensar como é que eu vou trabalhar amanhã sem carro, quanto é que será o arranjo, isto só comigo...

Sexto passo: O Reboque chega, liga-lhe os cabos de bateria e o carro pega. Claro que o taxista gabou-se inúmeras vezes por ter acertado na maleita da viatura.

Dito isto.... cheguei a casa já era quase meia noite. Muito bom.

SB

2 comentários:

  1. Se estavam em contra-mão e te bateram e tens as declarações o seguro delas é que paga... tive acidente a uma semana atrás... um tipo bateu-me por traz quando eu tava parada no cruzamento e projectou o meu carro para o da frente... o carro foi logo de reboque para a oficina que eu cá sou assim a assistência serve para isso... liguei a minha seguradora que me indicou para mandar as declarações e toda a documentação por e-mail, assim que receberam a documentação ligam-me para eu mandar as declarações para a seguradora do tipo que me bateu e assim fiz e em 1 semana tenho carro já comigo... e ainda bem que a minha seguradora mandou enviar a documentação a outra seguradora porque o tipo que me bateu em 8 dias ainda não tinha entregue nada de nada a seguradora.

    ResponderExcluir
  2. xiça, q grd aventura!!

    ResponderExcluir